Orquestra Sinfônica do Paraná celebra 35 anos virtualmente

De lucianpichetti | 28 de maio de 2020 | 17:30
Foto: AEN

Nesta quinta-feira, 28 de maio, a Orquestra Sinfônica do Paraná comemora 35 anos de música. Em um ano atípico para o mundo, a Orquestra teve que se adaptar para celebrar seu aniversário. Acostumada a se apresentar no Teatro Guaíra, em 2020 a festa da OSP é nas redes sociais.

O tradicional Parabéns Pra Você foi por vídeo em uma produção virtual com os músicos, maestro Stefan Geiger e participação especial da Paideia Escola de Música, Vocal Curitibôcas e Papo Coral Infantojuvenil.

A diretora do Centro Cultural Teatro Guaíra, Monica Rischbieter, explica que a comemoração do aniversário da OSP é sempre um momento especial para a cultura do Paraná.

“Sempre fazemos um concerto marcante, é uma data para lembrarmos de todas as pessoas importantes na história da orquestra. A gente vê o momento como uma homenagem a todos que fizeram parte dessa trajetória”, afirma ela.

Em 2020, a programação seria um cine-concerto com a trilha de Encouraçado Potemkin, mas teve de ser suspensa em função da pandemia do coronavírus. “Por isso resolvemos fazer esse parabéns virtual, para estarmos perto do público e celebrar a arte do Estado”, finaliza.

O vídeo de celebração foi feito com a colaboração do Governo do Estado do Paraná, o Centro Cultural Teatro Guaíra, Palco Paraná, Orquestra Sinfônica do Paraná, Paideia Escola de Música, Estúdio Trilhas Urbanas, S Z AudioVisual e o Instituto de Apoio à Orquestra Sinfônica do Paraná.

Assista ao vídeo da celebração:

História

Fundada em 1985, a Orquestra Sinfônica do Paraná é a primeira e maior orquestra pública mantida pelo Governo do Estado. Com sede no Centro Cultural Teatro Guaíra, faz múltiplas apresentações todos os meses a preços acessíveis.

Teve como um de seus fundadores e primeiro maestro-titular o compositor Alceo Bocchino. Nascido em Curitiba, o maestro Bocchino foi aluno de Villa-Lobos e um dos compositores brasileiros mais relevantes no cenário orquestral no Brasil no final do Século XX.

Em 35 anos de história, a Orquestra já tocou com mais de 50 maestros, recebeu um público de mais de meio milhão de pessoas e produziu grandes óperas como Aída (1994), de Giuseppe Verdi; Carmen, de Bizet; e João e Maria (2018), de Engelbert Humperdinck.

Além do repertório clássico de orquestra, a OSP já tocou ao lado de grandes estrelas nacionais, como Bibi Ferreira, e locais, como a Banda Blindagem. Desde 2012 traz também os filmes-concertos, apresentações de filmes mudos com a trilha sonora tocada ao vivo pela orquestra.

Ao todo, a orquestra possui quase 1.000 obras catalogadas em seu arquivo musical, entre compositores brasileiros, internacionais e paranaenses.

Colaboração AEN

Deixe um comentário