Paraná está entre os estados com maior número de testagem do coronavírus

De Barbara Schiontek | 6 de janeiro de 2021 | 11:14
Foto: Geraldo Bubniak/AEN
Laboratório Central do Estado - LACEN - Recepção de amostras para teste do Coronavirus. Curitiba - Foto: Geraldo Bubniak/AEN

Em 2020, o Paraná realizou 1,4 milhão de testes RT-PCR para detectar o novo coronavírus. O Estado é uma das unidades federativas com maior testagem da população no Brasil.

Segundo o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, os testes são uma medida de enfrentamento ao coronavírus. “Adotamos, por meio do Laboratório Central do Estado, a testagem como uma das principais estratégias de enfrentamento ao coronavírus. Foi uma linha definida pelo Governo do Estado, pois consideramos que o teste RT-PCR garante o diagnóstico correto e o isolamento dos casos positivos”, afirma.

O secretário diz que a ampla testagem deve continuar no Paraná, pois a estratégia se mostrou eficaz.  “A marca de 1,4 milhão de testes aplicados representa mais de 10% da população do Estado. Isso mostra o grande esforço que o Paraná vem fazendo diante de várias frentes de trabalho e estratégias implantadas para enfrentar a Covid-19”, destaca o secretário.

Processamento dos testes

Em fevereiro de 2020, quando os primeiros casos suspeitos surgiram no Paraná, o Laboratório Central do Estado (Lacen) fazia os testes preliminares e enviava as amostras à Fiocruz para a finalização dos laudos. Em março, 600 exames por dia já eram processados, representando um aumento de 400% em relação ao início da pandemia.

Em março, o Governo do Paraná fez uma parceria com o Instituto de Biologia Molecular (IBMP) e com outros laboratórios particulares e ligados a universidades. Hoje, o Lacen e o IBMP conseguem fazer 10,6 mil análises por dia.

Surtos ativos

O Paraná também adotou a detecção de locais com surtos ativos como estratégia no enfrentamento do coronavírus.

Do início da pandemia até a última semana de dezembro foram enviadas 57.132 notificações de surtos para o Estado, 20.428 foram confirmadas. Os locais onde ocorreu a identificação dos surtos foram: frigoríficos, serviços de saúde, instituições de longa permanência de idosos, unidades prisionais e penitenciárias, indústrias e canteiros de obras. Também foram identificados surtos em locais que tiveram encontros sociais e familiares, como festas de aniversário e casamentos.

Até o fim de 2020, foram contabilizados 233 óbitos devido às situações de surtos.

Rastreamento

Outra medida adotada para o controle da covid-19 no Paraná foi o rastreamento de contatos de casos confirmados. Essa ação permite que seja feita a identificação e o isolamento das pessoas que podem ter sido expostas a um caso confirmado ou suspeito.

A coordenadora de Vigilância Epidemiológica, Acácia Nasr, diz que o rastreamento é importante para interromper a cadeia de transmissão e conter o surto da doença. “Neste período, o Estado registrou cerca de 120 mil contatos e conseguiu encerrar 102.973 monitoramentos. A estratégia detectou 1.040 casos”, informa a coordenadora.

Colaboração AEN