PIX e digitalização de pagamentos substituirão papel moeda, que é caro, diz BC

De Redação Estadão | 5 de novembro de 2020 | 18:23

O diretor de Organização do Sistema Financeiro do Banco Central do Brasil, João Manoel Pinho de Mello, disse que a tendência é que a digitalização dos meios de pagamento, como o PIX, o sistema brasileiro de pagamentos instantâneos, deverão substituir gradualmente a emissão de papel moeda, que custa caro à sociedade brasileira.

“O Banco Central não vai se furtar a ofertar numerário quando há demanda, como na pandemia” ponderou ele.

Mello participa do webinar “Novo Ambiente Regulatório para FinTechs no Brasil: Oportunidades e Desafios”, organizado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

O diretor afirmou que o BC tentou estimular o mercado privado a “aparecer com uma solução” para digitalizar pagamentos, como o PIX, por cinco a seis anos, mas que acabou cabendo à autoridade monetária oferecer o ambiente para isso. “O PIX é tão seguro quanto outros meios de pagamento, possivelmente mais”, completou.

Lorenna Rodrigues
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe um comentário