Plácido Domingo é ovacionado em Milão

De Redação Estadão | 16 de dezembro de 2019 | 10:16

A estrela da ópera Plácido Domingo foi aplaudido de pé no concerto de gala que marcou os 50 anos de sua primeira apresentação no La Scala, no domingo, 15, e agradeceu com uma rara performance a capela. Sozinho no palco, com três rosas amarelas, Domingo acalmou a plateia com a zarzuela espanhola Non Puede Ser. Até aquele momento, depois de mais de meia hora de aplauso de pé, coisa rara na casa de ópera de Milão, Domingo e os músicos que se apresentaram com ele naquela noite já tinham voltado duas vezes para o bis. Ele voltou sozinho para o terceiro.

Domingo, 78, pareceu impressionado pela recepção, e em determinado momento beijou o chão do palco onde ele se apresentou pela primeira vez no dia 7 de dezembro de 1969 no papel de Ernani, na ópera de Verdi. No total, ele cantou 135 vezes no La Scala, em 22 óperas.

A comemoração do La Scala coincidiu com um ano em que casas de óperas dos Estados Unidos cancelaram apresentações do artista depois que a Associated Press noticiou que mais de 20 mulheres haviam acusado Plácido Domingo de assédio sexual ou conduta imprópria. Domingo negou as acusações e, depois de um período de silêncio, começou, recentemente, a dar entrevistas sobre o caso para algumas seletas publicações europeias.

Em uma delas, o cantor disse que sempre achou que estava sendo gentil, que acreditava que estava se comportando como um cavalheiro e que nunca abusou de seu poder. Ele afirmou, ainda, que planeja continuar se apresentando – pelo menos nos eventos já planejados até 2021. Embora suas apresentações tenham sido canceladas nos Estados Unidos, ele tem recebido o apoio de teatros europeus. Fonte: Associated Press.

Estadao Conteudo
Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.