PMI composto da China desacelera a 55,8 em dezembro, de 57,5 em novembro

De Redação Estadão | 6 de janeiro de 2021 | 07:21

O Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) composto da China desacelerou a 55,8 em dezembro, após atingir em novembro o maior nível em mais de dez anos, de 57,5, informaram nesta quarta-feira (no horário local, noite de terça no Brasil) a IHS Markit e a Caixin. Quando acima dos 50 pontos, o indicador sinaliza expansão da atividade em relação ao mês anterior.

“De maneira geral, o dano causado pela epidemia na economia doméstica voltou a recuar e os setores da indústria e serviços continuaram a se recuperar”, afirmou o economista-sênior da Caixin Wang Zhe, em nota. “Tanto a oferta quanto a demanda continuaram a melhorar e a demanda externa também aumentou.”

Nas aberturas, o PMI de serviços desacelerou de 57,8 em novembro para 56,3 em dezembro. O indicador de empregos desacelerou, mas ficou em terreno positivo pelo quinto mês consecutivo. A pesquisa também apurou aumento tanto na oferta quanto na demanda no setor. O PMI industrial, divulgado pela IHS Markit e Caixin no último domingo, 3, desacelerou a 53,0 pontos em dezembro, de 54,9 em novembro.

Cícero Cotrim
Estadao Conteudo
Copyright © 2021 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.