Produtores de cacau na Bahia conhecem método de alta produtividade

De Redação | 11 de novembro de 2019 | 15:07
Imagem: Rita Santos / Mapa

Cerca de 600 produtores de cacau da Bahia participaram, neste mês, do seminário “Cacau [email protected] – Tecnologia para a Alta Produtividade”, promovido pela Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac).

O primeiro evento reuniu mais de 200 produtores de Ibirapitanga, Ipiaú, Ubatã, Ubaitaba, Aurelino Leal, Ibirataia e Barra do Rocha. No seminário, os técnicos da Ceplac Ivan Costa e Souza, Rozenilton Klecius e Jackson Prado apresentaram os fundamentos do projeto de Alta Produtividade. A ideia é os produtores criarem grupos para capacitação, aumentar a produtividade de cacau e baixar o custo de produção.  

De acordo com os técnicos, com o método de produção de Alta Produtividade é possível, por exemplo, reduzir o custo de mão-de-obra de 56 para dez diárias, com a retirada da desbrota e adotando a técnica de despiolhamento na poda, com a redução da altura das plantas e eliminação do uso de podão e facão. 

O extensionista Ivan Souza destacou que a compra em comum, em grupos, já barateou o custo dos insumos. No caso do chamado adubo A, que custa de R$ 130 a R$ 140, cai para R$ 92 com a compra em comum. “Uma redução  em torno de 35% a 40% do custo na compra de insumo e não só na compra de adubo, mas também de inseticida, de fungicida e de todo material instrumental de uso de motores e máquinas”, disse.  

Em grupos, os produtores podem vender os produtos juntos, possibilitando a venda do cacau com preço melhor. “Estão conseguindo em torno de 15% a mais no preço do dia com venda em volume feita pelos Grupos do Projeto [email protected]”, acrescentou.  

Outra tecnologia que chamou a atenção dos produtores foi a de polinização manual com alto índice de pegamento, capaz de aumentar o número de frutos por planta. Um curso completo de polinização será oferecido aos cacauicultores de Ibirapitanga. 

O seminário foi promovido também pela Secretaria de Agricultura de Ibirapitanga, pelo sindicato rural e Senar.  

A palestra também foi realizada em Itamaraju, no extremo-sul do estado, com a participação de 400 produtores do local e municípios vizinhos. Com o interesse dos produtores, três grupos foram formados para a capacitação na metodologia da alta produtividade. A extensão rural da Ceplac planeja duas palestras para os municípios de Mucuri (BA) e Linhares (ES). 

O projeto Cacau [email protected] prevê que produtores formem grupos para capacitação em alta produtividade. A ideia é que elevem a produção para 500 arrobas de cacau por hectare. Ao ser formado, o grupo escolhe um coordenador, que organiza as excursões, os encontros, repasse de técnicas, mensagens e análise de resultados com o acompanhamento técnico. 

Qualquer município pode participar do Cacau [email protected] Basta formar grupos de produtores e entrar em contato com a extensão rural da Ceplac.  

Fonte: Mapa