Quase 800 bolsistas da área da saúde auxiliam no combate ao coronavírus

De Daniela Borsuk | 28 de março de 2020 | 10:37
(Foto: AEN)

Os 796 bolsistas, entre profissionais e estudantes da área da saúde, se apresentaram nesta sexta-feira (27) à Secretaria de Estado da Saúde, em várias regiões do Estado, onde passam a atuar a partir de segunda-feira (30). O grupo foi contratado pelo do Programa de Apoio Institucional para Ações Extensionistas de Prevenção, Cuidados e Combate à Pandemia do Coronavírus, criado em parceira entre a Fundação Araucária, Superintendência Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e Secretaria da Saúde.

Ele vão atuar, sob supervisão da Saúde, auxiliando no atendimento em centrais de informações, atenção às divisas rodoviárias do Estado, atendimento à população em unidade de saúde, hospitais e outros estabelecimentos de saúde e, ainda, junto ao Laboratório Central do Estado (Lacen) e ao Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs).

“O objetivo desta ação de extensão é ampliar as informações, orientação e atendimento à população diante da pandemia do coronavírus”, explicou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

Inicialmente, os bolsistas foram contratados pelo período de quatro meses, podendo ser ampliado para até oito meses. O valor das bolsas varia de R$ 800 a R$ 4 mil. Participam do programa estudantes matriculados nos últimos anos em curso de graduação na área de saúde e profissionais como médicos, enfermeiros, farmacêuticos e auxiliares técnicos de laboratório.

Regiões

Dos bolsistas, 135 bolsistas atuarão na região de Jacarezinho. Vão desenvolver atividades também nas regiões de Maringá (87); de Francisco Beltrão (87); de Londrina (71); e de Foz do Iguaçu (47). Cascavel, Ponta Grossa, Guarapuava e Paranaguá receberão 55 bolsistas em cada região. Além disso, outros 17 atuarão no Lacen e no Cievs. As universidades estaduais vão apoiar a ação na coordenação das atividades.

Divisas

Nesta sexta (27), os 12 bolsistas que atuarão em fronteiras de Curitiba e Região se apresentaram na Escola de Saúde Pública do Paraná (ESPP). No encontro, receberam informações sobre o trabalho que será desenvolvido nas rodovias, nos principais pontos de pedágio, com ações de monitoramento para os viajantes. Na região de Curitiba a atividade será concentrada na BR-116, em Campina Grande do Sul, e contará com apoio logístico da Polícia Rodoviária Federal, que tem posto próximo ao quilômetro 55.

Trinta e três postos de atendimento da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar) contarão com as orientações dos profissionais e estudantes contratados.

“O trabalho é orientativo e educativo. Os bolsistas são profissionais e universitários da área da saúde, com conhecimento e segurança para transmitir as informações corretas à população e dar o apoio necessário junto à Sesa”, destacou o coordenador do Programa de Apoio Institucional nas regiões de Curitiba e Metropolitana, Giovani Fávero.

O diretor da Escola de Saúde Pública do Paraná, Edevar Daniel, ressaltou que o momento é crítico para toda a população e exige a presença do profissional da saúde em campo.

Contribuição

A acadêmica de Enfermagem, Fernanda Dombrozi, que a partir de segunda-feira atuará em uma das divisas do Estado, disse se dispôs a participar da ação para ajudar. “O cuidado faz parte da nossa profissão e a orientação segura faz toda a diferença neste momento de pandemia”.

O enfermeiro Rodrigo Gonçalves do Nascimento, que também atuará na área de divisa, ressaltou que a situação exige ações de cidadania. “A mensagem é de que a contribuição de cada um pode mudar uma situação e trazer benefícios para a coletividade”.

Além dos bolsistas que prestarão apoio nas divisas da Grade Curitiba, também se apresentaram hoje cedo na Escola de Saúde Pública os profissionais e estudantes que auxiliarão em atividades no Lacen e no Cievs.

Colaboração AEN

Deixe um comentário