Refém de imbróglio, Ponte Preta poderá perder o meia Matheus Vargas nesta semana

De Redação Estadão | 27 de maio de 2019 | 19:25

A Ponte Preta se tornou refém do imbróglio envolvendo o meia Matheus Vargas e o Audax, de Osasco. E o primeiro problema já respinga no time do técnico Jorginho. Titular absoluto, o jogador não estará em campo para o duelo ante o Cuiabá no próximo sábado, às 19 horas, na Arena Pantanal, pela sexta rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. O empréstimo do jogador com o clube campineiro vai até 30 de maio e a duração do novo contrato é o empecilho.

Matheus Vargas pertence ao Audax e está emprestado à Ponte Preta. O meia e seu empresário Marcelinho Robalinho querem estender o contrato com o clube de Osasco até 2021, o mesmo período de empréstimo com a Ponte Preta. Acontece que a diretoria do clube osasquense não abre mão de um contrato mais longo, de três temporadas. O atual vai até julho de 2020.

Os salários com a Ponte Preta, assim como o formato de empréstimo, já estão acertados entre as partes. O problema segue sendo a duração. No mês passado, Matheus Vargas chegou a anunciar que estava tudo certo e que seguiria no Moisés Lucarelli. No meio do caminho, porém, seu empresário e o Audax passaram a divergir sobre o tempo do novo contrato.

Se as partes não chegarem a um acordo, a Ponte Preta perderá o jogador. Com o contrato para expirar nesta quinta-feira, Vargas teria de voltar ao Audax para cumprir seu contrato até o meio do ano que vem. Enquanto isso, o clube campineiro fica apenas na torcida para que cheguem a um consenso.

Em campo, a Ponte vem de vitória sobre o Paraná, por 4 a 2, em Campinas. O triunfo a fez pular para o 8º lugar, com oito pontos, mesma pontuação do Cuiabá, próximo adversário. Os rivais, aliás, têm a mesma campanha com duas vitórias, dois empates e uma derrota, além de seis gols a favor e cinco tomados.