Renan diz que MDB virou 'bando' ao rifar Simone Tebet

De Redação Estadão | 30 de janeiro de 2021 | 07:44

“Viramos um bando. Deixamos de ser partido.” Foi assim que o senador Renan Calheiros (AL) definiu a mudança protagonizada pelo MDB, um dia depois da decisão da bancada de abandonar a candidatura de Simone Tebet (MS) à presidência do Senado para apoiar Rodrigo Pacheco (DEM-MG), em troca de cargos. As mensagens de Renan, que era adversário de Simone até há pouco tempo, foram postadas pelo aplicativo WhatsApp no grupo de senadores da sigla.

Na sua avaliação, o MDB “cristianizou” Simone e virou “pedinte”, com a bancada “mendigando” uma conversa com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), para receber “carguinhos como favor”. “É o fim melancólico para quem liderou a Casa e agora foi rebaixado para a Série D”, escreveu Renan, que foi presidente do Senado em uma época na qual o partido também estava à frente da Câmara.
As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Vera Rosa
Estadao Conteudo
Copyright © 2021 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.