Rio Preto e Jundiaí decidem no 1º turno

De Redação Estadão | 16 de novembro de 2020 | 07:14

Depois de atrasos e paralisações que levaram incertezas a cidades-pólo do interior, a retomada da divulgação, na noite de ontem, dos resultados das eleições pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) clareou a situação ao trazer definições. Em São José do Rio Preto e em Jundiaí, os atuais prefeitos, Edinho Araújo (MDB) e Luiz Fernando Machado (PSDB), respectivamente, foram reeleitos.

Com 93,56% das urnas apuradas, Edinho estava com 54,86% dos votos válidos. Em segundo lugar, a Coronel Helena (Republicanos) aparecia com 27,17% votos, seguida pelo candidato Marco Casale (PSL), com 4,86%.

“Em tempo de pandemia, não há clima para festa. A partir de agora começo a pensar o futuro da cidade”, afirmou o prefeito no fim da noite, ao comentar a vitória. Será a quarta vez que ele vai administrar a cidade: foi eleito em 2000, reeleito em 2004 e voltou a vencer a disputa em 2016.

Em Jundiaí, que tem 314.875 eleitores, Machado foi reeleito com 69,64% dos válidos. O segundo colocado, Pedro Bigardi (Rede), teve 5,70% dos votos.

“Vamos trabalhar mais ainda para transformar Jundiaí numa cidade preparada para todos os desafios. Jundiaí assumiu outro patamar e, quando algo dá certo, a gente continua”, disse ele, depois da confirmação do resultado. O tucano foi apoiado pela maior coligação da cidade, reunindo, além do PSDB, PTB, MDB, PV, PSC.
Em Ribeirão Preto, com 100% das urnas apuradas, o prefeito Duarte Nogueira (PSDB) obteve 45,87% dos votos e vai para o segundo turno com a ex-reitora da USP Suely Vilela (PSB), que teve 20,72%. Nogueira teve 115.734 votos e Suely, 52.266.

Adiamento. Mais cedo na noite de ontem, antes da divulgação dos resultados, e na dúvida se seu discurso seria sobre uma eventual ida para o segundo turno ou de vitória em primeiro turno, Duarte Nogueira se manteve em sua casa adiando o horário de ida ao comitê de campanha para se pronunciar sobre o resultado.
Suely já havia optado por aguardar o resultado em casa alegando, desse modo, evitar aglomeração entre apoiadores em prevenção à covid.

De acordo com a Justiça Eleitoral, uma das 1.130 urnas da cidade apresentou defeito e foi substituída. Em escolas em que o número de seções eleitorais foi reduzido, houve fila no guichê para eleitores se informarem sobre qual a nova seção.

Em Campinas, também com 100% das urnas apuradas, Dário Saadi (Republicanos) e Rafa Zimbaldi (PL) vão decidir no segundo turno qual deles será o prefeito da cidade.

Saadi teve 25,78% dos votos e Zimbaldi, 21,86%. Eles disputam o cargo pela primeira vez. O resultado mostra uma alteração em relação à pesquisa Ibope divulgada no sábado, na qual Zimbaldi tinha 28% e Saadi, 27%. Outro concorrente ao cargo, o ex-vereador Artur Orsi (PSD), com suspeita de covid-19, decidiu não votar. Ele obteve 16,72% dos votos, atrás de Pedro Tourinho (PT), que recebeu 20,49%.

Em Sorocaba

O vereador Rodrigo Manga (Republicanos) e a prefeita Jaqueline Coutinho (PSL) vão disputar o segundo turno em Sorocaba. Manga obteve 39,41% dos votos válidos, enquanto Jaqueline chegou a 16,66%.

A prefeita ficou menos de 1% à frente do terceiro colocado, Raul Marcelo (PSOL), que teve 15,86%. “Foi uma eleição difícil, mas tivemos nosso trabalho reconhecido pela população”, afirmou Jaqueline após a divulgação do resultado. Ela era vice do prefeito José Crespo, que teve o mandato cassado, e assumiu a prefeitura em 2019.

“Vamos para o segundo turno com a mesma garra, visitando os bairros, conversando com os moradores”, disse Manga, que é Missionário da Igreja Mundial do Poder de Deus.

Em Bauru, a jornalista Suéllen Rosim (Patriota) saiu na frente para a disputa do segundo turno com 35,60% dos votos. Ela terá como adversário o médico ortopedista Raul Gonçalves de Paula, o Dr. Raul (DEM), 32,80%. Com 270.749 eleitores, a cidade é um dos 28 municípios paulistas com segundo turno.

A surpresa das eleições na cidade foi o desempenho do atual prefeito e candidato à reeleição, Clodoaldo Gazzetta (PSDB). Ele obteve 8,78% dos votos. Outros dez candidatos disputaram as eleições. A taxa de abstenção foi de 30,6%.

Em 2018, Suéllen concorreu a uma vaga de deputado estadual. Não se elegeu, mas ficou como suplente. Já seu adversário concorre à prefeitura pela segunda vez. Dr. Raul já foi vereador, candidato a prefeito em 2016 e concorreu também à Câmara dos Deputados e à Assembleia Legislativa.

Claudio Liza Junior, Daniele Jammal e Everton Sylvestre, Especial Para o Estadão, E José Maria Tomazela
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe um comentário