Sem financiamento, 56,3% sairiam do ensino superior privado, diz levantamento

De Redação Estadão | 11 de dezembro de 2020 | 18:00

Sem programas de financiamento estudantil, tanto federais quanto particulares, 56,3% dos estudantes estariam fora do ensino superior privado no País, aponta levantamento do Pravaler, fintech de soluções financeiras para educação. A pesquisa indica que 95,2% devem utilizar o recurso até o final do curso.

De acordo com os dados, se não houvesse a possibilidade de financiar o curso desejado, 27,4% dos estudantes teriam escolhido outra graduação com valor de mensalidade menor, fariam o mesmo curso em outra instituição de ensino mais barata, utilizariam reserva financeira ou venderiam algum bem para custear o curso.

Para 2021, o Pravaler indica que as instituições de ensino vêm buscando ainda mais o recurso do financiamento privado como uma opção de facilitar o ingresso no ensino superior, a fim de evitar o agravamento da evasão. “Somente em outubro, fomos procurados por quase 40 instituições buscando implementar o financiamento como opção para seus cursos”, afirma Murilo Siqueira, gerente de Planejamento Comercial do Pravaler, em nota.

Em média, a mensalidade das 15 graduações mais buscadas para financiamento na fintech em 2020 é de R$ 1,6 mil, enquanto a renda média mensal dos alunos é próxima a R$ 1 mil.

“Em um cenário de pandemia, alta de desemprego e impacto na renda mensal, fica ainda mais desafiador pagar a mensalidade cheia e esse é um dos motivos pelos quais o financiamento é tão imprescindível”, conclui Siqueira.

Luísa Laval
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.