Taxas futuras de juros recuam após ata, mas renovam máximas com pressão do dólar

De Redação Estadão | 22 de setembro de 2020 | 09:36

Os juros futuros começaram a sessão desta terça-feira em queda, após a leitura da ata do Copom não sinalizar um início próximo de aperto monetário, mas, pouco antes das 9h30, as taxas renovavam máximas em meio à alta do dólar ante o real. Às 9h28, o DI para janeiro de 2022 estava na máxima de 2,96%, de 3,00% no ajuste anterior. O DI para janeiro de 2023 marcava máxima de 4,40%, de 4,44%, enquanto o vencimento para janeiro de 2027 exibia máxima de 7,31%, de 7,34% na véspera.

Luciana Xavier
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.