Teatro ajuda no equilíbrio mental de estudantes na pandemia

De lucianpichetti | 10 de julho de 2020 | 17:17
Foto: Pexels

Os estudantes estão há quatro meses sem aulas presenciais por conta da pandemia da Covid-19. Nesta altura do ensino não presencial, equilibrar saúde física e mental é algo desafiador para os alunos. Para alguns deles, o teatro virou terapia.

Segundo o professor de teatro Carlos Magno, do Elite Rede de Ensino, o momento é de apoiar e ressignificar o isolamento. Promover o autoconhecimento por meio de atividades baseadas em exercícios de teatro e audiovisual proporciona desenvolvimento pessoal. Ao mesmo tempo, de acordo com ele, o momento é de apoio e relaxamento em meio a essa realidade tão delicada. Com o teatro, estimula-se a experimentação do novo, mas sem a cobrança de metas e construções em um ambiente de competição e escassez.

As aulas de teatro trabalham vários aspectos relevantes – emoções, sociabilização, consciência corporal, autoconhecimento, empatia e motivação – para o crescimento de cada aluno, sobretudo nesse período conturbado e novo.

Oásis de fortalecimento

A expressão das emoções através de personagens fictícios possibilita a vivência dos papéis, libera a tensão, restabelece o autocontrole e o equilíbrio. Já a formação do grupo, cada um de sua casa, focado em um objetivo comum traz a possibilidade de reconhecimento de estar em um todo e se sentir acolhido e seguro. A consciência corporal – movimentos, ações e habilidades – estão sistematicamente inseridas e trabalhadas nas atividades. A forma lúdica e a interação com o teatro e as artes dramáticas são diferenciais no processo.

“Uma construção coletiva traz uma equidade entre os estudantes e estimula a se reconhecerem como parte de um grupo, o que nessa fase de isolamento forçado é de impacto positivo. A formação focada em um objetivo reforça esta experimentação. O acolhimento e a sinergia com os colegas, dividindo as emoções fazem perceber que não são únicos nas sensações negativas, ressignificando os sentimentos e ainda faz do momento atual um fator de fortalecimento pessoal”, destaca Magno.

Os exercícios de concentração, respiração e o trabalho de consciência corporal remetem o foco no eu, e assim o autoconhecimento nasce sutil, mas de forma gradual e saudável, colaborando com a autoestima. Enquanto otrabalho de empatia é feito através de debates sobre a posição de cada um no ambiente doméstico. Como último ponto, as aulas de teatro trabalham o aspecto motivacional. Para o professor, estar em uma construção coletiva ligada à arte e ainda divertida faz do momento da aula de teatro um oásis de alegria, desenvolvimento e fortalecimento.

Daniel Kiffer, aluno do segundo ano do Ensino Fundamental I, não esconde a alegria de aprender com descontração. “São aulas criativas que gosto de participar. O professor se fantasia e traz histórias divertidas. Também criamos nossas histórias, com nossos personagens. Tiro desse momento uma diversão a mais, aqui na minha casa, e faço questão de dizer que aprendi nas aulas de teatro”, conta o estudante.

Deixe um comentário