Tesouro e B3 zeram taxa de custódia no Tesouro Selic até estoque de R$ 10 mil

De Redação Estadão | 23 de julho de 2020 | 14:34

O Tesouro Nacional e a B3 zeraram a taxa de custódia para os investimentos no Tesouro Selic até o estoque de R$ 10 mil, conforme nota divulgada nesta quinta-feira, 23, por ambos. A mudança entra em vigor a partir do próximo dia 1º de agosto. Antes, estava em 0,25% ao ano.

Às 15h30, o subsecretário da Dívida Pública do Tesouro, José Franco, e o diretor de Relacionamento com Corretoras, Bancos de Investimento e Serviços Qualificados da B3, Felipe Paiva, farão uma live pelo Instagram do Tesouro Direto sobre o assunto.

Segundo o Tesouro e a B3, a zeragem representa “mais um marco” da série de inovações e melhorias, “que incluem a análise contínua de seus custos de manutenção e aprimoramento e que vêm sendo conduzidas pelo Tesouro e pela B3”. A taxa de custódia havia diminuído pela última vez, de 0,30% para 0,25% para todos os títulos, em 1º de janeiro de 2019.

A medida beneficia mais de 53% de todos os investidores ativos do programa, segundo Tesouro e B3. “O Tesouro Direto tem hoje quase 1,3 milhão de investidores ativos. Com a zeragem da taxa, um terço deles ficariam completamente isentos de tarifa. Mas, como a medida isenta o pagamento para todos os investidores em Tesouro Selic até o limite de R$ 10 mil em estoque, todos que possuem esse título, e que respondem por 53% da base de investidores ativos do programa, acabarão de alguma maneira sendo beneficiados”, detalha a nota.

“O Tesouro e a B3 reafirmam o seu compromisso de monitorar constantemente as oportunidades de reduções estruturais na taxa de custódia cobrada pela B3”, finaliza o texto.

Renata Pedini
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe um comentário