Todos os 9 grupos do IPCA tiveram alta de preços em dezembro, mostra IBGE

De Redação Estadão | 12 de janeiro de 2021 | 12:50

Todos os nove grupos que integram o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) registraram alta de preços em dezembro, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os aumentos nos custos da Habitação, Alimentação e Transportes responderam por 80% da taxa de 1,35% do IPCA no mês.

O grupo Habitação subiu 2,88% em dezembro, um impacto de 0,45 ponto porcentual sobre a inflação. Alimentação e Bebidas aumentaram 1,74%, impacto de 0,36 ponto porcentual, e Transportes avançaram 1,36%, impacto de 0,27 ponto porcentual.

Os demais acréscimos ocorreram em Saúde e cuidados pessoais (0,40%), Educação (0,48%), Artigos de residência (1,76%), Vestuário (0,59%), Despesas Pessoais (0,65%) e Comunicação (0,39%).

Os Artigos de Residência tiveram a segunda maior variação entre os nove grupos pesquisados. Os artigos de TV, som e informática subiram 2,52%, mobiliário aumentou 2,92%, e eletrodomésticos e equipamentos avançaram 1,00%.

Com a coleta extraordinária feita em dezembro nos itens do grupo Educação, os cursos regulares subiram 0,55%, impacto de 0,02 ponto porcentual sobre a inflação. A maior variação ocorreu na educação de jovens e adultos (3,83%), seguida pela creche (1,54%) e ensino médio (1,19%). Houve quedas no curso técnico (-0,79%) e pós-graduação (-0,77%).

“Em algumas áreas teve alta, em outras teve queda. Alguns estabelecimentos estavam fechados lá em agosto, a gente conseguiu coletar agora em dezembro. Não houve altas expressivas em relação a agosto”, afirmou Pedro Kislanov, gerente do Sistema Nacional de Índices de Preços do IBGE.

Todas as 16 regiões pesquisadas pelo IBGE apresentaram altas de preços em dezembro. O menor resultado foi o do município de Aracaju (0,91%), enquanto o mais elevado foi registrado no município de São Luís (2,18%).

Daniela Amorim
Estadao Conteudo
Copyright © 2021 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.