Toto Wolff diz que chance de permanecer na Mercedes em 2021 é de '100%'

De Redação Estadão | 14 de novembro de 2020 | 10:56

Chefe da Mercedes, que há duas semanas comemorou a conquista de seu sétimo Mundial de Construtores de forma consecutiva, Toto Wolff assegurou que vai continuar na escuderia alemã ao menos até o fim de 2021. Ele é o dirigente mais vitorioso da história da Fórmula 1 e um dos mais influentes da categoria atualmente.

O austríaco de 48 anos chegou a indicar em alguns momentos que deixaria a chefia da equipe. O ex-piloto voltou a falar que está cansado, com a saúde abalada, e que não pretende passar mais tantas noites sem a família. Sua ideia é ocupar um cargo menos desgastante e que exija menos viagens. No entanto, ele confirmou que seguirá no comando da Mercedes até o fim da próxima temporada.

“Sou coproprietário da equipe e tenho um ótimo relacionamento com todos. Até agora a estrada tem tido muito sucesso, com o Lewis e com os sete títulos de construtores, mas são muitas viagens durante a temporada, com 250 noites do ano em hotel, praticamente, então é possível que em um, dois ou três anos, alguém ocupe este cargo e eu continue em outro cargo de gestão, mas sem tantas noites fora de casa”, explicou. “Mas no ano que vem, por enquanto, vou continuar nesta posição”, garantiu o chefe da Mercedes em entrevista à emissora alemã RTL.

Nas últimas semanas, Toto revelou que já começou um planejamento para encontrar o seu sucessor. O processo, porém, é longo e, por enquanto, ele permanece como o chefe da equipe que vem dominando a Fórmula 1 nos últimos anos e que está prestes a celebrar mais uma conquista: o heptacampeonato de Lewis Hamilton, que pode ser assegurado neste domingo, no GP da Turquia, de forma antecipada.

“Mais tarde haverá mudanças, mas no ano que vem posso garantir cem por cento que continuarei a ser o chefe da equipe da Mercedes”, reforçou o dirigente.

Com a presença de Toto confirmada na Mercedes ao menos até o fim de 2021, resta saber se Hamilton também vai continuar na escuderia alemã. Há duas semanas, depois de conquistar a sua 93ª vitória na Fórmula 1, em Ímola, o piloto britânico deixou seu futuro em aberto.

“Eu gostaria de estar aqui no próximo ano, mas não há garantias disso, com certeza”, ressaltou o hexacampeão, na ocasião. “Há muitas coisas que estão na minha mente”, acrescentou. Seu vínculo com a equipe vence no fim desta temporada.

Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe um comentário