Vírus reaparece e força Nova Zelândia a adiar eleição legislativa

De Redação Estadão | 17 de agosto de 2020 | 14:34

A premiê da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, anunciou no domingo, 16, que um novo surto de covid-19 provocou o adiamento das eleições legislativas no país, considerado uma referência no controle da doença. A votação ocorrerá em 17 de outubro, um mês após o previsto.

O país de 4,8 milhões de habitantes teve 22 mortes pelo vírus e 1,6 mil infectados. Antes do último surto, o arquipélago havia passado 102 dias sem transmissão comunitária conhecida do vírus, e a vida havia voltado ao normal para a maioria das pessoas, que iam a restaurantes, estádios esportivos e escolas sem medo de se infectar.

Os únicos casos conhecidos foram os de viajantes que retornaram e foram colocados em quarentena na fronteira. As autoridades ainda não descobriram como o vírus foi reintroduzido no país.

A premiê disse que não pensa em adiar a eleição novamente. Pesquisas de opinião indicam que o Partido Trabalhista, de Ardern, é o favorito para ganhar um segundo mandato.

Os partidos de oposição vinham pedindo o adiamento após o governo colocar Auckland em lockdown por duas semanas, com 49 novos casos da doença sendo registrados no local. Isso interrompeu campanhas na maior cidade da Nova Zelândia. (Com agências internacionais)

Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe um comentário