Saiba o que tocará em cada palco durante a Oficina de Música de Curitiba

De thiagorasera | 14 de janeiro de 2020 | 10:16
(Foto: Luiz Costa /SMCS)

Música suave ou vibrante, barroca ou inovadora, para ser ouvida em grandes teatros, capelas centenárias ou a céu aberto. De 15 a 26 de janeiro, a 37° Oficina de Música de Curitiba vai espalhar concertos e apresentações pela cidade.

São cerca de 250 atrações em 24 espaços públicos e privados. Muitos destes palcos são importantes para a história da música e da cidade.

De restauro à pintura antipichação e iluminação cênica, vários desses espaços passaram por reformas, restauros e melhorias do programa Rosto da Cidade.

Confira um pouco sobre os principais palcos da Oficina de Música 2020.

Teatro Guaíra e Guairinha – Ópera, erudita e popular

Da abertura ao encerramento da Oficina de Música, o Teatro Guaíra será palco misto (Popular e Erudita) das grandes apresentações, como Yamandu Costa, João Bosco, Renato Teixiera e Danilo Caymmi. Uma novidade que vale como concerto é o ensaio aberto da Orquestra Sinfônica da Oficina.

O imponente Teatro Guaíra fica em frente à Praça Santos Andrade, no Centro da cidade. Não foi sempre assim: até 1954 o teatro funcionava onde hoje está a Biblioteca Pública do Paraná.

Guairinha: O auditório Salvador de Ferrante, será palco da ópera, La Belle Helene. Endereço: Rua Amintas de Barros, s/n – Centro e Amintas de Barros s/n.

Teatro da Reitoria – MPB

Um dos palcos da MPB, o teatro de mais de 60 anos, projetado pelo arquiteto curitibano Rubens Meister, autor de projetos como o do Teatro Guaíra e do Caixa Cultural e outros marcos da cidade, vai receber shows energizantes.

Lá se apresentam o trio Edu Ribeiro, Toninho Ferragutti e Fábio Peron, que chegam pra mostrar o álbum Folia de Reis, indicado ao prêmio Grammy Latino 2019, na categoria instrumental. Outros oito shows passam pelo Teatro da Reitoria durante a Oficina de Música. Endereço: Rua XV de Novembro, 1299 – Centro

Teatro Regina Casillo – Erudita e MPB

Com quatro concertos gratuitos, é opção para o fim de tarde em um dos mais recentes palcos de Curitiba. Inaugurado em junho de 2019, com capacidade para 300 pessoas, receberá uma das maiores atrações da Oficina de Música, a grande dama da ópera nacional Rosana Lamosa. O Teatro faz parte da recuperação da área central de Curitiba, em frente à praça Eufrásio Correia, revitalizada no início de 2019.
Endereço: Rua Lourenço Pinto, 500 – Centro

Teatro do Paiol – MPB

Inaugurando em 1971 com a presença de Vinícius de Moraes. Em 2018, depois de reformas do programa Rosto da Cidade, a reinauguração ficou por conta de João Bosco. Na Oficina não poderia ser diferente, é o palco MPB, com dez shows programados. O que antes foi um abrigo de pólvora e munição para o exército, hoje comporta 220 espectadores. Endereço: Praça Guido Viaro, s/n – Prado Velho.

Capela Santa Maria – Erudita e Antiga

Sede da Camerata Antiqua de Curitiba, a edificação foi construída pela Congregação Marista em 1939. Transformada em Unidade de Interesse de Preservação, foi restaurada pelo município e passou por melhorias recentes do Programa Rosto da Cidade. Palco oficial da Música Antiga e Erudita, aproveitando a acústica ideal para esses gêneros, receberá durante a Oficina dez apresentações. Endereço: Rua Conselheiro Laurindo, 273 – Centro.

Memorial da Cidade – Misto

O coração do Largo da Ordem, no Centro Histórico, ficará movimento com a programação da Oficina de Música 2020. Quase todos os dias, apresentações mistas e gratuitas, com rodas de samba, viola, canjeiros, e até o pré-carnaval infantil.

O espaço conta com diversos ambientes. O prédio em terreno irregular foi projetado a partir do formato dos pinheiros, tem murais do artista curitibano Sérgio Ferro e também recebeu cuidados do Rosto da Cidade. Endereço: Rua Dr. Claudino dos Santos, 79 – São Francisco.

Cine Passeio – Cinema e música

Novo espaço favorito dos curitibanos vai estrear na Oficina com a mostra Música no Cinema, uma intensa programação com 35 eventos, entre eles o festival In-Edit, documentários de música que pela primeira vez chega a Curitiba.

O complexo cultural surgiu com a recuperação de um edifício histórico e conta com espaços para formação audiovisual, economia criativa —um coworking—, salas de cinema e exibições no terraço, a céu aberto. Endereço: Rua Riachuelo, 410 – Centro

Capela da Glória – Erudita e Antiga

Joia da arquitetura sacra da cidade e fortemente ligada ao ciclo da erva-mate, foi construída em 1885 pela tradicional família Leão, e depois doada à Arquidiocese de Curitiba.

Depois de um período de abandono, em 2018 foi restaurada pelo programa Rosto da Cidade e transformada num espaço religioso e cultural, entrando oficialmente para o calendário da Oficina de Música. Endereço: Avenida João Gualberto, 565 – Alto da Glória.

Igreja de Cristo (Luterana) – Erudita

Centenária, discreta e com uma ótima acústica. A igreja inaugurada em 1912 é um legado de famílias germânicas de origem protestante. Endereço: Rua Inácio Lustosa 309 – São Francisco

Igreja Bom Jesus dos Perdões – Erudita

Construída em 1907 pelos franciscanos, a igreja em estilo neogótico tem capacidade para 450 pessoas e fica em frente à Praça Rui Barbosa, perto da Rua da Cidadania da Matriz, região central de Curitiba.

Além da qualidade acústica, a igreja abriga uma raridade musical, um órgão Speith de quase 100 anos, um dos últimos da marca em funcionamento no Brasil. Endereço: Praça Rui Barbosa, 149 – Centro

Passeio Público e outros parques – MPB

O mais antigo e secular parque da cidade entrou na programação da Oficina de Música. O Passeio Público, que foi revitalizado pela Prefeitura em 2019, terá uma série de 25 apresentações. Nos dois fins de semana da Oficina de Música, a música começa a rolar das 12h até as 18h30. Durante a semana, sempre às 18h30. Outros belos parques curitibanos também estão na programação: Tanguá, Barigui, Náutico, Lago Azul, Bacacheri, Bosque Alemão, Tanguá e Tingui integram o roteiro de concertos e shows gratuitos.

Belvedere – Chorinho aos domingos

Construído em 1915 para ser um mirante da parte alta do bairro São Francisco, o Belvedere é um edifício de madeira, símbolo do art nouveau de Curitiba. Ficou abandonado por anos, sofreu vandalismo e passou por um incêndio. A construção foi completamente restaurada e entregue novamente à cidade em dezembro de 2019. Agora recebe, aos domingos de manhã, grupos de choro durante a Oficina de Música. Praça João Cândido, São Francisco

Outros palcos que recebem a Oficina são o Auditório Mário Schoemberger e o Teatro Positivo.

Parcerias

A 37ª Oficina de Música de Curitiba tem apoio cultural da Família Farinha, Comunidade Luterana Igreja de Cristo, Igreja Bom Jesus dos Perdões, Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR), Bicicletaria Cultural, Universidade Federal do Paraná, Lamusa – Laboratório de Música Sonologia e Áudio, Sistema FIEP, Pró-Reitoria de Extensão e Cultura (PROEC), HOG The One Curitiba, Solar do Rosário e apoio máster do Teatro Guaíra e Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR).